Opinião: Técnico novo ou comissão técnica permanente? Qual a melhor opção para o Atlético-GO no momento?

Foto: Ingryd Oliveira/ACG

Segundo jogo sob o comando da comissão técnica permanente, time não conseguiu apresentar o mesmo ímpeto, a mesma garra e a mesma consistência que teve contra o Sport e acabou num empate de 2 x 2 contra o Mirassol em pleno estádio Antônio Accioly. Diante disso questionamos se é conveniente ou não a permanência do interino Anderson Gomes à frente da equipe ou se com esse empate em casa a diretoria vai apressar na contratação de um novo comandante para o Dragão? Não há uma resposta fácil para essa pergunta, entretanto, no momento, nos parece que a melhor opção seria a manutenção do interino à frente da equipe, já que o mesmo demonstrou que tem capacidade e conhece como ninguém esse elenco e suas potencialidades; ademais nas rodadas seguintes essa comissão técnica já vai contar com mais material humano, no caso os reforços que estão chegando; terá mais opções para escalar o seu onze e ainda poderá ter um banco repositor de melhor qualidade, nesse sentido acreditamos que é preciso dar um tempo a mais para que o técnico interino possa promover as alterações na titularidade, encontrar a formação ideal e assim tentar buscar uma sequência de resultados positivos, o que deixaria o time na briga direta pelo G4.

Opinião: Chegada de bons nomes no Atlético-GO reacende esperança de Série A

Corroborando esse ponto de vista, devemos ressaltar os nomes de treinadores disponíveis no mercado: Rogério Ceni, Vanderlei Luxemburgo, Tite, Roger Machado e outros figurões, por exemplo, estão fora da realidade financeira do Dragão e certamente o presidente do Atlético não faria tal loucura; outros técnicos mais acessíveis como Lisca, Zé Ricardo, Jair Ventura, Jorginho e outros, podemos até fazer um trocadilho: “muitos são mais do mesmo”, ou seja, alguns até já estiveram por aqui, seja no próprio Atlético ou nos rivais Goiás e Vila Nova, e podem não ser a solução para o Atlético conseguir seus objetivos; contratar técnicos estrangeiros também não seria interessante, já tendo corrido metade do campeonato pode ser pior do que um técnico brasileiro, primeiro porque se o profissional não conhece o futebol brasileiro vai demorar para se ambientar e não há mais tempo para essas situações, segundo porque os estrangeiros que estão ambientados no Brasil já estão todos empregados ou não atendem aos requisitos buscados pela diretoria, portanto, no momento, não seria conveniente buscar técnicos de fora do país. Diante desse cenário, opinamos que ainda não é o momento apropriado para buscar um técnico, seria melhor a diretoria atleticana aguardar mais algumas rodadas e enquanto isso avaliar nomes e possibilidades de técnicos que possam conduzir o time no restante do campeonato e se possível, já iniciar a temporada de 2024, pois uma sequência de trabalho é sempre benvinda, o que há muito não ocorre no Dragão, os técnicos contratados não conseguem permanecer mais que dois ou três meses, dado o nível de exigência dos dirigentes atleticanos. Um técnico contratado agora pode não chegar até o final da temporada e assim o Atlético terminaria o ano com um interino e isso vem acontecendo já a algum tempo, o que prejudica sobremaneira toda a temporada, pois as constantes mudanças de técnico ensejam mudanças no elenco, na titularidade, na filosofia de jogo e assim sucessivamente. O mais importante no momento, não é contratar outro técnico que vá permanecer por aqui 2 ou 3 meses, e sim dar estabilidade e confiança a essa comissão permanente para que o time volte a ter a competitividade necessária para chegar ao G4.

Autor: Ronan Rodrigues de Andrade, 61 anos | Santo Antônio de Goiás-GO

A opinião de um artigo assinado não reflete necessariamente a opinião do site, é o ponto de vista exclusivo do autor que elaborou o artigo.